domingo, 6 de abril de 2014

Apresentação



                                                                           Cara Leitora,  

Muito prazer! Sou a Camila, natural de Fortaleza-CE, Católica Apostólica Romana, escrava de Nossa Senhora, filha da Luisa Helena, estudante de Administração e tenho 23 anos. Santos de Devoção: Nossa Senhora das Graças, São Paulo, São Pe Pio de Pietrelcina e São Josemaria Escrivá.
Assim como São Paulo, que atônico perguntava a Jesus: “Senhor, o que queres que eu faça?”. O meu início em 2014 se deu recorrentemente com essa indagação também. Em resposta, o espírito me suscitou a iniciativa de contribuir para a disseminação da modéstia, do pudor e da dignidade da mulher, porém “como?” eu não conseguia identificar.
Sou leitora do blog desde 2012, porém por circunstâncias da vida, deixei de acompanhar as publicações durante um tempo. Nesse ano, retornei a leitura de alguns blogs e me assustei com o encerramento do Donzela Cristã. Daí, pensei assim: “Talvez, muitas garotas tenham sentido o mesmo que eu quando se depararam com o post de encerramento do blog.”
A partir disso, pensei em entrar em contato com a Bárbara. Se de fato for a vontade de Deus, eu sigo com novas publicações. Dessa forma, veio a resposta e eis-me aqui !!!
Não sou nenhuma enciclopédia da Igreja e careço ainda de muitos e muitos estudos sobre o catolicismo e atualidades, mas se o Senhor me chama a esse desafio, faça-se segundo a vossa vontade.
Sou escrava de Maria, por ter me consagrado a Nossa Senhora há 3 anos segundo o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem de São Juís Maria Grignion de Montfort. Por meio dessa consagração, todos somos chamados a nos entregar a Maria para com ela aprender a amar verdadeiramente Jesus. 
Espero contar com a sua ajuda para coleta de feedbacks e aprimoramento do nosso blog.  

                                                                       
                     
  Muito obrigada,
com Maria sempre,
Camila Mota Nogueira
camilamota.adm@gmail.com



domingo, 30 de março de 2014

Novos começos

Como sabem, eu tinha fechado o blog.
Por estar em uma nova etapa da minha vida e também por questões de tempo, estou me dedicando apenas ao blog Do Namoro aos Filhos.
Entretanto, há algum tempo recebi uma inusitada proposta: Uma leitora do blog quis voluntariar-se a prosseguir com este apostolado! Não é ótimo?
No próximo post vocês a conhecerão melhor. Deixo também em aberta a proposta de que entrem em contato comigo outras possíveis voluntárias dispostas a cuidar desse cantinho.
Eu continuarei respondendo comentários, na medida do possível, e acompanhando o trabalho que será desenvolvido aqui. Aguardem os próximos capítulos... :)


Barbara.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Entrevista na Rádio Vox, hoje às 21:00!

"Uma conversa para homens e mulheres:
Afinal, por que ser modesta? Por que seguir o pudor?
O que a roupa tem a ver com a dignidade da mulher?
Existem padrões para ser modesto(a)?
E o homem? O que tem a ver com isso?
Essa sociedade cheia de homens e mulheres solteiros e descompromissados...o que podemos fazer?"


Assim resumiu a Letícia, apresentadora do programa Modéstia e Pudor na Rádio Vox o bate-papo que vai ao ar hoje a noite entre nós(Barbara falando aqui) duas! Ninguém pode perder!

Para deixar já um gostinho, compartilho com vocês uma frase:

"Quando quisermos destruir uma Nação, devemos destruir a sua moral. Assim ela cairá em nossas mãos como um fruto maduro" Lênin


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Começos e fins

Gostaria de começar esse post pedindo desculpas sinceras por ter demorado tanto a voltar aqui. Simplesmente sumi e não postei mais nada. Como alguns sabem, me casei, criei um outro blog e já não posso manter o Donzela. Não apenas por questões de tempo, mas porque a proposta desse blog já não atende de modo suficiente todos os assuntos que eu gostaria de trabalhar. Sei que muitos poderão ficar desapontados ao lerem isso, mas espero que compreendam e acompanhem o meu novo blog, o Do Namoro aos Filhos.
Agradeço imensamente a todas as pessoas que apoiaram esse projeto e que ainda visitam o blog para ler as postagens. Peço perdão por não ter concluído as postagens do mês de Maria e a sequência do plano de vida espiritual, bem como a digitação dos livros Quando eu for Moça e Donzela Cristã(ambos disponíveis para download no blog Alexandria Católica.
Vocês não sabem como me alegrou ver que tanta gente estava disposta a me apoiar, ver tantas pessoas dizerem que o blog as ajudou... Enfim, tudo isso não pode ser pago.
Obrigada a cada um,

Barbara.

Obs. Não excluirei o blog, então podem continuar consultando, se necessário, as postagens.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A oração vocal



As palavras na oração não são discursos, mas gravetos que alimentam o fogo do amor.
(CIC 2.717)


A oração vocal

    Depois de um longo período sem postagens, continuaremos a sequência já iniciada a respeito do plano de vida. Na última postagem falamos sobre a oração mental e a meditação. Entretanto, essas não são as únicas formas de orar. Trataremos hoje da oração vocal, que é falar com Deus utilizando-se de textos já existentes, como os Salmos, o Santo Rosário, as orações e os cânticos litúrgicos, bem como outros hinos, poemas e cânticos religiosos, além das orações escritas pelos santos.
    Nosso Senhor fazia oração mental quando se recolhia para conversar a sós com o Pai(Lc 6, 12), mas também fazia  oração vocal: rezava os salmos com devoção e também as orações judaicas tradicionais quando participava do culto na sinagoga (Mc 6, 2), das festas do Templo (Jo 7,1 ss.), ou seguia todo o cerimonial litúrgico, as preces e cantos prescritos na celebração da Páscoa judaica (Mt 26,30).
    Devemos, pois, imitá-lo. Se Ele fazia tanto a oração mental como a oração vocal, porque nós não nos esforçaríamos por fazer  o mesmo? Será que não precisamos? Duvido muito. 
O próprio Senhor nos ensinou a mais alta oração vocal que há: o Pai-nosso(Mt 6, 9-13). Não restam dúvidas de que a utilização de orações prontas também é agradável a Deus.
    Há quem diga, ainda assim, que rezar com orações prontas é chato, é multiplicar palavras inúteis... enfim. Preferem utilizar-se apenas da oração mental que é espontânea, aquela na qual vamos falando o que vem ao coração. Isso não seria limitar demais a vida de oração? Penso que sim. Se queremos ser almas enamoradas de Cristo, devemos fazer como os namorados quando se querem muito: se lhes falta criatividade ou capacidade para expressar em palavras o que gostariam de dizer, procuram poemas escritos por outros e ofertam ao amado. 
    Falar o que vem ao coração é bom, mas não nos esqueçamos que é do coração que procedem más inclinações, assassínios, adultérios, prostituições, roubos, falsos testemunhos e difamações (Mt 15, 19). Muitas vezes o coração está árido e nesses momentos pode ser que não saia espontaneamente algo de muito proveitoso. A oração vocal é também uma ajuda oportuna à oração mental, pois vai semeando no coração bons pensamentos, tesouros de palavras, sentimentos e desejos que nosso coração não poderia inventar sozinho. Conforme formos fazendo oração vocal e leitura espiritual(falaremos disso depois!) mais nossa oração espontânea irá se aperfeiçoando.


Os dois perigos

A displicência
Displicente na oração vocal é todo aquele que a encara com relaxamento, descaso, fazendo-a de qualquer maneira. O displicente reza mecanicamente, sem se esforçar por compreender o que está dizendo.
Devagar. - Repara no que dizes, quem o diz e a quem. - Porque esse falar às pressas, sem lugar para a reflexão, é ruído, chacoalhar de latas.
E te direi, com Santa Teresa, que a isso não chamo oração, por muito que mexas os lábios.
(São Josemaria Escrivá, Caminho, 85)

O perfeccionismo
Ao contrário do displicente, o perfeccionista põe muito empenho em compreender o que diz na oração. Entretanto, tem uma ideia de que se não conseguir colocar absolutamente toda a consciência, atenção e sentimento em cada sílaba, talvez fosse melhor não rezar. Afinal, para o perfeccionista, a menor distração já é ocasião para pensar que talvez fosse melhor nem rezar, já que reza tão mal e parece fazer ''oração de papagaio'', só repetindo, repetindo. Não, não é assim que Deus nos olha! Esse perfeccionismo na oração poderia até beirar um certo escrúpulo excessivo. Por exemplo, se a pessoa reza o terço e se distrai durante uma ave-maria, torna a rezá-la do começo para deixar o terço tinindo, mesmo que pra isso leve bastante tempo.Devemos ser simples como as crianças, se queremos entrar no reino de Deus(Mt 18,3). Vejamos atentamente o que diz São Josemaria:

Sei que te distrais na oração. - Procura evitar as distrações, mas não te preocupes se, apesar de tudo, continuas distraído.
Não vês como, na vida natural, até as crianças mais sossegadas se entretêm e divertem com o que as rodeia, sem atender muitas vezes às palavras de seu pai? - Isso não implica falta de amor nem de respeito; é a miséria e pequenez própria do filho.
Pois olha: tu és uma criança diante de Deus.
(
(São Josemaria Escrivá, Caminho, 890)

Tendo visto o quanto é boa e agradável a Deus, esforcemo-nos por praticarmos também esta bela forma de oração. Se nos distraimos, peçamos perdão, retomemos e sigamos adiante! Mais vale a boa vontade que a eloquência aos olhos de Deus.

sábado, 8 de setembro de 2012

A oração mental e a Meditação

Não sabes orar? - Põe-te na presença de Deus, e logo que começares a dizer: “Senhor, não sei fazer oração!...”, podes ter certeza de que começaste a fazê-la.

São Josemaria Escrivá, Caminho, 90


Podemos orar de diversas formas. Utilizando orações que já existem, como os Salmos, cânticos litúrgicos,  o Santo Rosário... À este tipo de oração, chamamos Oração vocal(por mais que seja feita em silêncio). Aprofundaremos mais nela mais tarde. Entretanto, é também necessário um momento de diálogo espontâneo com Deus. Reservado só para ele. Podemos falar-Lhe de nossas angústias, descobertas, dúvidas, medos e tantas outras coisas.

A oração mental

Escreveste-me: “Orar é falar com Deus. Mas de quê?” - De quê? DEle e de ti: alegrias, tristezas, êxitos e fracassos, ambições nobres, preocupações diárias..., fraquezas!; e ações de graças e pedidos; e Amor e desagravo.

Em duas palavras: conhecê-Lo e conhecer-te - ganhar intimidade!

São Josemaria Escrivá, Caminho, 91


Precisamos fazer crescer a nossa amizade com Cristo. Como ficamos cada vez mais amigos das pessoas? Através do conhecimento mútuo, que só pode ser alcançado através do diálogo. Entendamos bem: A oração não é um monólogo. É conversa! Temos que falar, mas também escutar. Deus fala do jeito dele, no silêncio do nosso coração. Indicando para nós pontos onde devemos melhorar, aquela pessoa a quem deveríamos ter perdoado, aquele dever que estamos adiando...

A oração mental, a meu ver, é apenas um relacionamento íntimo de amizade em que conversamos muitas vezes a sós com esse Deus por quem nos sabemos amados
Santa Teresa d'Ávila


Não se deve fazer a oração, quando ''dá tempo''. Não podemos deixar para o Senhor as sobras do nosso horário! Ele merece que lhe dediquemos um momento reservado do nosso dia. Uma recomendação grandiosa é esta: determine um tempo específico para orar. Para começar, eu sugeriria 10 minutos diários. Quem não tem 10 minutos? Com o passar do tempo, podemos tentar aumentar para 15 minutos e assim irmos progredindo mais a cada vez. Quem sabe, 15 minutos de manhã e 15 a tarde?

 A escolha do tempo e da duração da oração mental depende de uma vontade determinada, reveladora dos segredos do coração. Não fazemos oração quando temos tempo: reservamos um tempo para sermos do Senhor, com a firme determinação de, durante o caminho, não o tomarmos de volta enquanto caminhamos, quaisquer que sejam as provações e a aridez do encontro. Nem sempre se pode meditar, mas sempre se pode estar em oração, independentemente das condições de saúde, trabalho ou afetividade. O coração é o lugar da busca e do encontro, na pobreza e na fé.
Catecismo da Igreja Católica, 2710


Quando fores orar, que seja este um firme propósito: não ficar mais tempo por consolação, nem menos por aridez.
São Josemaria Escriva, Caminho, 99

Um outro ponto importante é a questão do local. Você pode orar em seu quarto com a porta fechada(Mt 6, 6), numa igreja, num lugar bonito... A escolha é sua. O ideal é que seja um lugar silencioso e que não dificulte a sua concentração. Já é difícil mantermos a atenção e silenciarmos a mente, imagine num lugar em que venhamos a ficar olhando para os lados a todo momento!


A meditação



A meditação é sobretudo uma procura. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã, a fim de aderir e responder ao que o Senhor pede. Para tanto, é indispensável uma atenção difícil de ser disciplinada. Geralmente, utiliza-se um livro, e os cristãos dispõem de muitos: as Sagradas Escrituras, especialmente o Evangelho, as imagens sacras, os textos litúrgicos do dia ou do tempo, os escritos dos Padres espirituais, as obras de espiritualidade, o grande livro da criação e o da história, a página do "Hoje" de Deus.

 Meditando no que lê, o leitor se apropria do conteúdo lido, confrontando-o consigo mesmo. Neste particular, outro livro está aberto: o da vida. Passamos dos pensamentos à realidade. Conduzidos pela humildade e pela fé, descobrimos os movimentos que agitam o coração e podemos discerni-los. Trata-se de fazer a verdade para se chegar à luz: "Senhor, que queres que eu faça?"
Catecismo da Igreja Católica, 2705 e 2706

Isso tudo também pode ser feito na oração mental. na verdade, em muitíssimos momentos a oração mental e a meditação se fundem e ficam muito unidas. Não podemos esquecer, porém, que são coisas diferentes. Pode haver oração mental sem ou quase sem meditação, como a da pessoa que passa todo o tempo de oração apenas dirigindo a Jesus  olhares enamorados e frases de amor como "Jesus, como eu Vos amo!".


"Et in meditatione mea exardescit ignis". - E na minha meditação se ateia o fogo. - Para isso vais à oração: para tornar-te uma fogueira, lume vivo, que dê calor e luz.


Por isso, quando não souberes ir mais longe, quando sentires que te apagas, se não puderes lançar ao fogo troncos aromáticos, lança os ramos e a folhagem de pequenas orações vocais, de jaculatórias, que continuem a alimentar a fogueira. - E terás aproveitado o tempo.

São Josemaria Escrivá, Caminho, 92

Existem muitos bons livros que nos ajudam e conduzem a meditação. Os meus preferidos são Caminho, de São Josemaria Escrivá e a Imitação de Cristo, de Tomás de Kempis. As vezes pode bastar mesmo uma frase para nos ajudar e servir de impulso para quando nos faltar o assunto com Jesus.
Uma outra sugestão que eu gostaria de deixar é a de fazermos um ato de presença de Deus antes da oração. No livro Seleta de orações há uma sugestão que considero muito válida. Consiste em dizer, ao início, "(Pelo sinal da santa cruz, livrai-nos, Deus, nosso Senhor, dos nossos inimigos)Meu Senhor e meu Deus, creio firmemente que estás aqui, que me vês, que me ouves. Adoro-Te com profunda reverência. Peço-Te perdão dos meus pecados e graça para fazer com fruto este tempo de oração. Minha Mãe Imaculada, São José, meu Pai e Senhor, meu Anjo da Guarda, intercedei por mim." Para finalizar a oração, também é interessante dizer algo como  "Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicaste nesta meditação; peço-Te ajuda para os pôr em prática. Minha Mãe Imaculada, São José, meu Pai e Senhor, meu Anjo da Guarda, intercedei por mim.”(Também da Seleta de orações).
Vale também repetir o ato de presença de Deus durante a oração, se sentirmos necessidade. As vezes somos que nem conexão discada, quando cai, precisamos conectar de novo, e de novo...
A oração é sempre fecunda. Não devemos ficar esperando consolações sensíveis, sinais extraordinários, respostas miraculosas de Deus. Tudo o que era para ser dito por Ele, já o foi. O Verbo já nos foi dado! Que resposta mais podemos querer?
Em tempo, um último conselho: procure terminar sempre a oração com um propósito firme e concreto. Por exemplo, ao invés de decidir-se por ''ser mais ordenada'', estabeleça algo objetivo como, ''não deixar o armário bagunçado''.

"Quem reza se salva. Quem não reza se condena"
Santo Afonso Maria de Ligório

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Introdução - Plano de Vida

Podemos, com toda a certeza, afirmar com Santa Teresa d'Ávila: Quem a Deus tem, nada lhe falta. Para cultivar em nós a presença de Deus é necessário que estejamos em contato direto com Ele. A vida do cristão deve ser oração contínua, mas existem alguns momentos que que damos um ''break'' na correria do dia a dia para olharmos unicamente para Ele, que é o Esposa da nossa alma.

Pense que sua alma é o templo de Deus, e que a todo instante do dia e da noite as Três Pessoas divinas habitam nela.
Beata Elisabete da Trindade

Daremos início a uma série de postagens sobre o tema, cada uma abordando algumas sugestões de práticas de devoção e piedade. Todavia, o seu plano de vida quem deve montar é você. Lembre-se de ser generosa com Deus, pois como nos diz São Gregório Magno "Quando não queremos fazer oportunamente as coisas que podemos, pouco depois, quando queremos, já não podemos mais".
Seguiremos uma estrutura parecida com a do livro Falar com Deus, de conselhos sobre vida interior, do Padre Francisco Faus. Não será copiado o livro, mas  utilizado como base.
Temas a serem abordados:
A oração mental e a meditação
A oração vocal
O Santo Rosário
O Evangelho e Lectio Divina
A leitura espiritual
A presença de Deus
O exame de consciência
A Santa Missa
A Confissão
A direção espiritual
O retiro anual

Aguardem!











Campanha: RAMALHETE LIVRE!




"Você pode nunca ter lido um artigo de Carlos Ramalhete.

Você pode não concordar com seu pensamento conservador, clássico, cristão.

Mas se você souber que uma sociedade plenamente democrática, pluralista, tolerante, se faz com liberdade, com confronto de idéias, com respeito as diferenças, vai entender por que o silenciamento de Carlos Ramalhete é tão perigoso. Graças aos seus posicionamentos a favor da família, a favor da vida do início ao seu fim natural, a favor do casa
mento tradicional, Carlos Ramalhete vem enfrentando uma forte pressão que visa a sua retirada do jornal Gazeta do Povo.

Sua FanPage está sofrendo inundações de críticas, ( https://www.facebook.com/pages/Carlos-Ramalhete/140532172691065 ) um evento e uma página em seu repúdio foram criados (https://www.facebook.com/events/275179932597524/), e pela simples razão de que este escritor diz o que todo brasileiro cristão conservador gostaria de dizer, Carlos Ramalhete pode se tornar a próxima vítima da ditadura do relativismo. Não basta terem 99% da mídia nas mãos, enquanto todas as vozes não forem silenciadas, as minorias LGBT, pró-aborto, feminista, não descansarão.

Dê um "LIKE" e divulgue a página Ramalhete Livre a todos os seu contatos e ajude a mostrar que ainda somos maioria nesse país, que não temos medo de pensar, tampouco de nos expressar. Quanto mais "LIKES" tivermos, maiores as chances de preservarmos o espaço precioso desta, que é uma das últimas vozes conservadoras do Brasil."



O blog Donzela Cristã levanta essa bandeira. Apoie você também esse colunista do jornal Gazeta do Povo, conservador, que defende o pensamento tradicional. A patrulha do politicamente correto explodiu contra ele assim que o mesmo se posicionou contra a adoção de crianças por ''casais'' homossexuais. 

Leia a coluna aqui sobre a adoção: 
http://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?id=1292008
Assine a petição em prol de sua liberdade de expressão aqui: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=Ramalhet


Não podemos nos calar!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Véus a venda!

Donzelas, hoje passo pra divulgar mais uma opção para a compra de véus.
Quem vende é a Carina, do blog Servindo por amor: a Deus e à Igreja.
Segue o post do blog dela:

Meninas, boa tarde!! Tudo bem??
Pois é, resolvi dar uma ajudinha pra quem quiser por aqui tbm. Sou de Osasco, na capital de São Paulo, e tbm estou vendendo véus. Na verdade já faço isso por aqui já há algum tempo, porém agora resolvi divulgar pela internet.


Podemos conversar por email, pelo facebook... O que for melhor!


Já recebi inclusive algumas amigas em minha paróquia que encontrei aqui na internet, para conversarmos sobre o véu. Também já fui em outras paróquias falar sobre o assunto, pois desenvolvi uma apostila simples que explica todo o sentido do véu, baseado no Catecismo da igreja. Tenho publicado no meu blog, caso alguém tenha interesse de verificar. É muito frutuoso das essas palestras e ver quanto as mulheres tem mudado sua postura de vida por conta do véu... [fico aqui a disposição para falar sobre o assunto em suas paróquias, com a autorização do seu pároco! =] )


OBS: Todos os véus acompanham uma cópia simples da oração + porta véu





R$ 30 + frete (clique na imagem para ver maior)






R$ 30 + frete (clique na imagem para ver maior)




R$ 30 + frete (clique na imagem para ver maior)


R$ 25 + frete







Com aplique = R$ 60 mais frete





Renda Francesa - R$ 95 + frete




Email: carinagranger@yahoo.com.br
Osasco/SP